Um pouco sobre Óleo de Cozinha

Os óleos vegetais, embora muitos desconheçam, são grandes causadores de danos ao meio ambiente quando descartados de maneira incorreta. Confira outros dados sobre óleos de cozinha.

Eles estão presentes na maioria dos lares brasileiros, em alguns, servem para temperar, em outros, para fritar, mas seu destino final geralmente é o mesmo: o ralo da pia ou o cesto de lixo. Os óleos vegetais, embora muitos desconheçam, são grandes causadores de danos ao meio ambiente quando descartados de maneira incorreta.

Os óleos e gorduras são, por definição, substâncias insolúveis, ou seja, não se misturam com a água e podem ser de origem animal ou vegetal. O óleo vegetal, que dá origem aos óleos de cozinha, pode ser obtido de várias plantas ou sementes, como o buriti, mamona, soja, canola, girassol, milho, etc.

Sua constituição química é composta por triglicerídeos, que são formados da condensação entre glicerol e ácidos graxos. A diferença entre gordura e óleo é somente seu estado físico, em que a gordura é sólida e o óleo é líquido, ambos a uma temperatura de até 20°C.

O óleo de cozinha já utilizado contamina milhares de litros de água se descartado de maneira incorreta. Porém, a partir do descarte correto, é possível fazer sabão, tintas e até combustível.

O óleo de cozinha usado, quando jogado diretamente no ralo da pia ou no lixo, polui córregos, riachos, rios e o solo, além de danificar o encanamento em casa. O óleo também interfere na passagem de luz na água, retarda o crescimento vegetal e interfere no fluxo de água, além de impedir a transferência do oxigênio para a água o que impede a vida nestes sistemas.

Quando chega  aos solos, seja por meio das margens dos mananciais aquáticos ou por meio do óleo descartado no lixo comum que acaba parando nos lixões, o óleo contamina o solo e acaba sendo absorvido pelas plantas, prejudicando-as, além de afetar o metabolismo das bactérias e outros micro-organismos que fazem a deterioração de compostos orgânicos que se tornam nutrientes para o solo.

É também por meio da infiltração no solo que esse óleo de cozinha polui os lençóis freáticos. Outro problema resultante é que esse óleo usado obstrui os poros do solo, tornando-os impermeáveis, e quando ocorrem as chuvas, contribui para o surgimento de enchentes.

Despejar o óleo no ralo é outra péssima ideia. Pois ele pode obstruir os canos, já que se mistura com elementos químicos de detergentes e criam uma capa gelatinosa que “prende”  os resíduos e bactérias.

Além de causar danos à rede de esgoto e contaminar a água com a qual entra em contato, estudos mostram que um litro de óleo vegetal usado que seja descartado de forma incorreta pode chegar a poluir mais de 20 litros de água. Isso ocorre porque ele forma uma fina camada sobre a água que impede a entrada de luz solar e coloca em risco a vida de animais aquáticos.

A poluição pelo óleo faz encarecer o tratamento da água (até 45%), além de agravar o efeito estufa, já que o contato da água poluída pelo óleo ao desembocar no mar gera uma reação química que libera gás metano, um componente muito mais agressivo que o gás carbônico.

Dessa forma, a melhor alternativa certamente é a reciclagem, que pode dar um novo uso ao óleo de cozinha e proteger não só a sua casa, mas também o meio ambiente.



Clique na figura abaixo e assine nossa lista de emails para receber nosso ebook "Como criar mapas de localização com ArcGIS 10.x".


Author: Émilin CS

Engenheira ambiental. Têm experiência na área de saneamento e gestão ambiental, buscando soluções usando QGIS e Bizagi. Atua na área de modelagem matemática para rompimento de barragens com software HEC-RAS.

One thought on “Um pouco sobre Óleo de Cozinha”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *