Como abrir tabelas com dados de campo para serem apresentados no Google Earth?

Passe seus dados de campo para tabelas no formato CSV e abra elas com janelas pop-ups no Google Earth. Veja como fazer esse processo usando Excel, ArcGIS e QGIS.

Após alguns dias de trabalho de campo, você retorna para o seu escritório e tem que organizar tudo o que você levantou. Grande parte dos seus dados esta associada à algum local da sua área de estudo.

Como você não esta trabalhando sozinho, você terá que apresentar os resultados desses dias de campo para a sua equipe ou para o coordenador do projeto.

Qual seria a forma mais fácil de apresentar tudo isso para eles?

Um forma de realizar essa apresentação é utilizando o Google Earth em conjunto com vários pontos.

Antes de começarmos, você vai precisar de um software de geoprocessamento, tais como QGIS ou ArcGIS. Neste tutorial, vamos apresentar o procedimento utilizando os dois.

Além deles, você precisará de um editor de planilhas (tais como Microsoft Excel ou LibreOffice Calc).

Tabulando os dados de campo

Primeiramente, vamos organizar nossos dados de campo em uma planilha, a qual irá conter a localização dos nossos pontos (coordenadas), numeração da foto registrada e as informações complementares.

Criamos abaixo 5 pontos fictícios para você pode acompanhar nosso tutorial.

X (UTM) Y (UTM) Foto Observação
605490 6807439 3848-3852 Ponto de Amostragem de Solo
607801 6807918 3853-3855 Ponto de Amostragem de Água
609479 6807026 3856-3857 Medição de Vazão
609380 6807283 3858-3860 Avaliação da Qualidade do Ar
609703 6806882 3861-3862 Acesso interditado (Ponte Quebrada)

Agora, vamos salvar essa planilha no formato CSV.

No Excel, clique em Arquivo > Salvar Como, na janela que irá abrir, logo abaixo do nome do arquivo, troque o campo por CSV (Separado por Vírgula) e clique em salvar.

O Excel irá avisar que algumas funcionalidades podem ser perdidas ao salvar em CSV, neste caso, você pode clicar em aceitar (sim), sem problemas.

Caso você tenha os dados salvos no seu GPS, no formato GPX, é possível pular essa etapa e trabalhar diretamente no GIS.

Com o arquivo CSV salvo, vamos utilizar o QGIS ou ArcGIS para salvá-lo no formato KMZ.

Abrindo Arquivo CSV no QGIS

Para abrir o nosso arquivo CSV no QGIS, vá em Camada (Layer) > Adicionar Camada (Add Layer) > Adicionar Camada de Texto Delimitado (Add Delimited Text Layer).

No primeiro campo, você deverá procurar a planilha com os seus dados. Em seguida, você poderá renomear o nome da camada, especificar qual é o tipo de delimitador (no caso do CSV é o ponto e vírgula ;). Em seguida, várias opções são apresentadas, permitindo remover cabeçalhos e determinar em qual coluna esta a latitude e longitude.

O resultado é apresentado na parte inferior da janela. Confira a figura abaixo.

Janela para Inserir pontos no QGIS a partir de tabela.
Janela para Inserir pontos no QGIS a partir de tabela.

Agora, basta clicar em OK e o QGIS irá solicitar qual é o sistema de coordenadas dos pontos, selecione SIRGAS 2000 UTM 22 S (EPSG: 31982).

Exportando para KMZ no QGIS

Por fim, vamos exportar nossos dados para KMZ para possibilitar a sua apresentação para a nossa equipe de trabalho.

O arquivo CSV recém-aberto estará no painel de camadas. Clique sobre ele com o botão direito e selecione Salvar Como.

Na janela a ser aberta, selecione o formato KML, defina o local onde ele será salvo, qual o nome do arquivo e o sistema  de projeção (1), em seguida, expanda a opção “Select fields to export and their export options” (2) e selecione os campos que deverão ser exportados.

Campo que devem ser habilitados para exportar a tabela de atributos no QGIS.
Campo que devem ser habilitados para exportar a tabela de atributos no QGIS.

Abaixo dessas opções, ainda é possível selecionar qual campo contém o nome que irá aparecer no Google Earth (dentro de Datasource Options, modifique “NameField” e “DescriptionField”). No nosso tutorial, não utilizaremos ele.

Caso você habilite essas funções (NameField e DescriptionField), você só poderá mostrar duas colunas no KMZ, sendo que para aparecer a tabela de atributos inteira, elas não devem ser marcadas.

O resultado, ao exportar o arquivo CSV em KMZ, no Google Earth é apresentado na figura abaixo.

Ao clicar sobre os ícones do Google Earth, você terá acesso à tabela de atributos exportada.
Ao clicar sobre os ícones do Google Earth, você terá acesso à tabela de atributos exportada.

Abrindo Arquivo CSV no ArcGIS

Já havíamos falado sobre a importação de arquivos do Excel no ArcGIS e o procedimento para abrir arquivos CSV no ArcGIS não é muito diferente.

Vá em Arquivo (File) > Adicionar Dados (Add Data) > Adicionar Dados XY (Add XY Data).

Na janela que irá abrir, você deverá indicar onde esta o arquivo CSV salvo, as colunas que contém a latitude e longitude e o sistema de projeção, conforme figura abaixo.

Abrindo arquivos CSV no ArcGIS.
Abrindo arquivos CSV no ArcGIS.

Após esse procedimento, você terá o arquivo CSV aberto no seu ArcGIS.

Exportando para KMZ no ArcGIS

No ArcGIS, para exportar para KMZ, vamos utilizar uma ferramenta do ArcToolbox. Procure em Conversion Tools > To KML > Layer to KML.

Nesta ferramenta, você irá apenas indicar qual arquivo deve ser convertido e o local onde o arquivo KML será gerado. Conforme figura abaixo.

Convertendo camada para KML no ArcGIS.
Convertendo camada para KML no ArcGIS.

Após a conversão, ao abrir o arquivo no Google Earth, você poderá clicar nos ícones e obter a tabela de atributos.

Resultado do processo de exportação de CSV para KMZ no ArcGIS.
Resultado do processo de exportação de CSV para KMZ no ArcGIS.

Note que o ArcGIS considerou a terceira coluna (número da foto) como o nome dos arquivos. Além disso, ele importou o formato do símbolo que adotamos no ArcGIS.

Comparando os Resultados

Você notou que as tabelas geradas são diferentes, mas em nenhum dos casos, isso irá prejudicar a apresentação dos dados.

Caso você abra o arquivo KML no bloco de notas, irá ver que o arquivo gerado no QGIS é mais simples, onde a tabela de atributos é adicionada pela tag ExtendedData em conjunto com as tags SimpleData.

Já no ArcGIS, ele exporta a tabela de atributos como HTML dentro da tag Description, a qual aceita esse tipo de linguagem de programação, possibilitando o ajuste do estilo (como o formato e cores da tabela).

Você pode consultar mais sobre esse tipo de programação visitando o site da Google para Desenvolvedores na Documentação do KML.

Agora, você pode facilmente apresentar e compartilhar os dados coletados em campo para toda a sua equipe.

Ficou com alguma dúvida? Deixa ela nos comentários que responderemos assim que possível.

Fontes Consultadas

Como adicionar dados personalizados - Keyhole Markup Language. Google Developers. Disponível em: <https://developers.google.com/kml/documentation/extendeddata?hl=pt-br>. Acesso em 16 set. 2018

GIS Stackexchange - QGIS exporting attributes in a KML file. Disponível em: <https://gis.stackexchange.com/questions/136604/qgis-exporting-attributes-in-a-kml-file>. Acesso em 16 set. 2018.


Clique na figura abaixo e assine nossa lista de emails para receber nosso ebook "Como criar mapas de localização com ArcGIS 10.x".


Author: Fernando BS

Engenheiro Ambiental e de Segurança do Trabalho. Atua nas áreas de recuperação ambiental, geoprocessamento e ciência do solo. Busca soluções utilizando softwares como ArcGIS, R e MATLAB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *