O que é Pedologia e por que ela é importante na Engenharia Ambiental

Qual é a definição de Pedologia? Descubra sua origem e como ela pode auxiliar os profissionais que atuam na área de meio ambiente, seja na prestação de serviços, seja na elaboração de pesquisas.

Já falamos em vários momentos aqui no blog sobre a formação, as cores e a contaminação dos solos. Nesta postagem, vamos explorar a história da Pedologia e como ela pode auxiliar os diferentes profissionais que atuam na área de meio ambiente.

Leia também: Como se formam os Solos | Solos Contaminados por HPAs | Munsell e as Cores do Solo – Parte I

História do Solo

Embora a ciência do solo, conhecida como pedologia, seja uma ciência recente, ela já vinha sendo estudada desde as antigas civilizações (tais como os egípcios, chineses, astecas, gregos, romanos, e muitos outras).

O conhecimento do solo era originado para agricultura, onde nossos ancestrais notavam que alguns solos produziam mais alimentos que outros.

Devido ao desconhecimento de boas práticas conservacionistas, essas civilizações utilizam os solos até que estes se esgotassem, de forma que eles abandonavam a região a procura de solos mais férteis.

Normalmente, os solos férteis se encontravam próximos aos rios, devido ao aporte de nutrientes que estes traziam em épocas de cheia.

Conforme os seres humanos esgotavam os solos próximos dos rios, aqueles mais afastados eram incorporados ao cultivo, sendo necessário criar técnicas para conduzir a água do rio, de forma fácil e rápida, até a área utilizada.

Estamos falando de civilizações que viveram a mais de 2.000 anos, onde os sistemas de irrigação e aquedutos eram as tecnologias mais modernas.


Aqueduto na Ilha de Lesvos (Grécia).

Da mesma época, temos tratados sobre a classificação de solos conforme sua produtividade (locais íngremes e pedregosos são ruins e locais planos e férteis são bons) e sobre a avaliação dos solos para construção de edificações pesadas.

Mesmo com vários estudos ao longo dos anos, o solo não era considerado como uma ciência “isolada” (tal como a Biologia e a Geologia).

No século XVII, um dos estudos mais importantes da pedologia foi conduzido pela equipe do químico alemão Justus von Liebig, a qual é conhecida atualmente como a Lei do Mínimo.

A Lei do Mínimo estabelece que a planta necessita de todos os nutrientes em condições ideais para que ela tenha produção máxima. Caso apenas um nutriente esteja faltando, a produção da planta será limitada por ele, independente se os outros nutrientes estejam em concentrações ideais.

Definição de Pedologia

Enquanto os alemães e outros pesquisadores europeus estudavam os solos em vasos e laboratórios, foi na Russia que o solo começou a ser observado in natura.

Vasily V. Dokuchaev começou a comparar solos devido a dois trabalhos que realizou na Ucrânia e na Russia, onde ele notou que, embora a geologia fosse semelhante, os solos eram diferentes.

Vasily V. Dokuchaev, geólogo e geógrafo russo, considerado o pai da Pedologia.
Vasily V. Dokuchaev, geólogo e geógrafo russo, considerado o pai da Pedologia (Fonte: Wikimedia).

Desta observação, Dokuchaev elaborou sua tese sobre os solos da Russia. Ele ainda levantou que o solo é resultado da interação de diferentes fatores como Clima, Material de Origem, Organismos Vivos, Relevo e Tempo.

Existem várias definições de solo, sendo que atualmente há mais de 80 definições diferentes.

Desde então, diversos pesquisadores aprimoraram e utilizam os conceitos apresentados em 1883 por Dokuchaev, criando assim a Pedologia.

Desta forma, podemos definir a Pedologia como a ciência do solo, assim como a biologia é a ciência dos seres vivos e a geologia é a ciência das rochas.

A pedologia estuda a formação, desenvolvimento, mapeamento e classificação do solo em seu ambiente natural.

Importância na Eng. Ambiental

Devemos conhecer o ambiente em estudo para podermos realizar medições e a partir das medições, gerenciar o ambiente em questão. Aplicando isso para os solos, devemos conhecer suas propriedades para poder gerenciá-los de forma que não venhamos a degradá-los.

Vimos no inicio da postagem que as civilizações antigas utilizam os solos até se esgotarem – Algumas dessas civilizações se extinguiram pois não cuidavam do recurso natural Solo.

Alguns exemplos de degradação dos solos envolvem erosão e salinização.

O conhecimento das propriedades do solo é fundamental em vários trabalhos da Engenharia Ambiental, os quais podemos citar:

  • Dimensionamento de Sumidouros;
  • Avaliação da Compactação de Selos de Argila;
  • Modelagem de Plumas de Contaminação;
  • Estudo de Drenagens Urbanas.

Sem o conhecimento da influência das características do solo (ou substrato) sobre estes e outros trabalhos pode ocasionar problemas futuros para quem contratou os serviços de engenharia.

Na história, temos exemplos dessas situações. Imagine você construir uma torre de um sino em um solo mole, sem a devida fundação, o que irá acontecer? A sua estrutura irá afundar (veja o exemplo da Torre de Pisa, na Itália).


Torre Inclinada de Pisa, na Itália

Entretanto, também temos bons exemplos históricos. Os romanos já tinham conhecimento da Mecânica dos Solos, sendo que podemos encontrar, atualmente, diversos aquedutos espalhados nas áreas conquistadas por eles – Construções pesadas que não desmoronaram devido a sua construção em bases firmes.

Visto tudo isso, os conhecimentos relacionados à ciência do solo não podem ser negligenciados, devendo ser estudados e aprimorados para fornecer melhores soluções para a sociedade.

Continue lendo mais em: Pisando em Solos Contaminados || Como os Carros Poluem os Solos || A Grande Barreira Verde

Fontes Consultadas:

BARRETO, Newcélia P. et al. Importância da Ciência do Solo:
Histórico, Conceitos e Definições. I Congresso Internacional da Diversidade do Semiárido. 2016.

LEPSCH, Igo. F. 19 Lições de Pedologia. São Paulo: Oficina de Texto, 2011. 456 p.


Clique na figura abaixo e assine nossa lista de emails para receber nosso ebook "Como criar mapas de localização com ArcGIS 10.x".


Author: Fernando BS

Engenheiro Ambiental e de Segurança do Trabalho. Atua nas áreas de recuperação ambiental, geoprocessamento e ciência do solo. Busca soluções utilizando softwares como ArcGIS, R e MATLAB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *