Como a fotogrametria e a fotointerpretação podem ajudar os engenheiros ambientais?

Acabe com a sua dificuldade de interpretação de fotos aéreas de vez. E veja como ela pode ajudar na sua carreira de engenheiro(a).

É comum quando vamos realizar um estudo em uma determinada área, levantar todos os dados que sejam relevantes para o nosso estudo, como:

  • Histórico da área;
  • Levantamento dos impactos;
  • Passivos ambientais;
  • Análises temporais;
  • Monitoramentos; e
  • Levantamento Florístico.

Mas como identificar se a vegetação presente na área era a mesma antes de 1960? Ou qual era o uso do solo entre 1970 e 1980?

Para isso podemos utilizar a Fotointerpretação. Mas afinal, o que é a fotointerpretação?

A fotointerpretação consiste no processo de estudo e coleta de informações que são necessárias para identificar várias entidades antropogênicas e naturais (tais como, geomorfologia, vegetação, uso do solo, pastagem, estradas, empresas, dentre outras) em fotografias.

Ao contrário de um mapa, as entidades em uma fotografia aérea não são generalizadas ou expressas como símbolos.

Elas gravam todas as entidades visíveis na superfície da Terra, sendo vistas de cima. Embora as entidades sejam visíveis, elas nem sempre são fáceis de serem identificadas.

Imagem aérea de 1957 – A qualidade da imagem pode prejudicar a interpretação.

Podemos observar na imagem acima que algumas coberturas do solo são de difícil classificação, seja em função da imagem ou da própria característica do uso do solo.

Quando interpretadas corretamente, as fotografias aéreas são uma excelente fonte de dados espaciais para o estudo do meio ambiente.

A fotointerpretação visual utiliza elementos de reconhecimento que servem de fatores-guia no processo de reconhecimento e identificação dos alvos na superfície terrestre, por meio de uma fotografia aérea ou imagem de satélite.

Estes elementos básicos de leitura de uma fotografia ou imagem são os seguintes:

  • Forma;
  • Disposição dos objetos no espaço;
  • Tamanho;
  • Tonalidade;
  • Sombra;
  • Textura;
  • Tempo; e
  • Associação/Área.

Forma

A forma de um objeto na imagem aérea ajuda a identificar o objeto em questão, como suas formas regulares e uniformes que geralmente indicam uma contribuição humana.

Característica de uma imagem aérea por meio da forma.

Disposição dos objetos no espaço

Corresponde ao arranjo de objetos no espaço da imagem aérea (plantações, culturas, vegetação, dentre outros).

Tipos de culturas e plantações numa imagem aérea.

Por exemplo, a organização de árvores em fileiras cria um arranjo bem característico, assim como em florestas naturais, essa organização não existe.

Tamanho e Tonalidade

O tamanho corresponde a proporção do objeto em uma imagem em relação aos outros. Alguns objetos que se destacam são: vias, pistas ou estradas, residências, estádios, entre outros.

A tonalidade corresponde às cores de um objeto em relação a outros objetos na foto.

Por exemplo, a areia é apresenta uma coloração clara, enquanto solos orgânicos são escuros, e as  espécies de árvores podem ser determinadas pela cor das folhas em certas épocas do ano.

Tamanho e Tonalidade.

A água geralmente tem uma cor mais escura (isso porque ela não replete luz, logo, para o sensor do satélite, ela é representada por um corpo escuro).

Sombra e Textura

A sombra fornece informações sobre a altura, forma e orientação do objeto que a contém, por exemplo, espécies de árvores e a textura estão relacionadas.

As mudanças nas características físicas de um objeto também mudam a maneira como o objeto aparece em uma imagem (a água calma possui textura suave, um dossel de floresta tem uma textura áspera).

Textura e Sombra.

Tempo e Associação/Área

O tempo esta associado às características temporais de uma série de fotografias, podendo ser útil na determinação de mudanças históricas em uma região.

Já a associação ou área, é a combinação de um ou mais objetos, tais como em edifícios industriais, os quais têm acessos e as usinas de energia nuclear geralmente estão localizadas perto de importantes corpos d’água.

Tempo e Associação.

Outras formas

Existe ainda a possibilidade de analisar essas imagens aéreas por meio de uma fotografia ou visão estereoscópica ou 3D. A fotografia ou visão estereoscópica é baseada em um princípio simples: da visão humana, ou seja, a visão binocular.

Os olhos são espaçados um do outro cerca de 65 mm (de centro a centro) e cada olho vê uma imagem com um ponto central diferente, enquanto o cérebro é responsável por misturar essas duas imagens, criando o efeito de relevo.

Fotografia Estereoscópica.

Seja por meio dos elementos básicos ou pela fotografia estereoscópica, a fotointerpretação é um elemento importante no campo da engenharia.

Por exemplo, ela pode ser usada em estudos de localização de estradas, diferentes traçados propostos, exploração mineral, agricultura e planejamento urbano.

Na engenharia ambiental…

Na engenharia ambiental, utilizamos a fotointerpretação para análise temporal seja de uma área em recuperação ou uma área urbana. Onde por meio da análise de imagens em anos diferentes, podemos avaliar a mudança ou as modificações que ocorreram na área de estudo.

Coutinho et. al (2013), do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade de São Camilo – ES, utilizaram a fotointerpretação para avaliar os usos da terra e áreas de preservação permanente (APP) na Bacia do Rio da Prata, Castelo-ES.

Os autores mostraram que metade das APP são utilizadas para fins socioeconômicos, estando somente a outra metade com florestas.

Pissarra e colaboradores (2005), do Departamento de Engenharia Rural da Universidade Estadual Paulista – UNESP, avaliaram, por meio da fotointerpretação utilizando o esteroscópio de espelho (Zeiss), o uso/ocupação do solo e a erosão acelerada na microbacia do córrego do Jabuticabal.

Já Fiorio et. al (2000), pesquisadores do Departamento de Solos e Nutrição de Plantas da Universidade de São Paulo – USP, avaliaram a Cronologia do Impacto Ambiental ocorrido na Microbacia do Cerveiro, em Piracicaba/SP.

Vale salientar que o impacto ocorrido na área avaliada por esse autores é proveniente do uso solo ocorrido na área nos anos de 1962 a 1995.

E você, já utilizou a fotointerpretação em algum trabalho ou projeto? Não deixe de comentar logo abaixo da postagem sobre sua experiência ou o que achou da postagem.



Clique na figura abaixo e responda nosso questionário para receber nosso ebook "Como criar mapas de localização com ArcGIS 10.x".


Author: Émilin CS

Engenheira ambiental. Têm experiência na área de saneamento e gestão ambiental, buscando soluções usando QGIS e Bizagi.

One thought on “Como a fotogrametria e a fotointerpretação podem ajudar os engenheiros ambientais?”

  1. Boa noite Émilin,

    Já utilizei fotointerpretação para avaliar a evolução de vários pátios operacionais de uma mineradora – auxiliando em trabalhos de avaliação de áreas contaminadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *