Por que o ozônio é utilizado no tratamento de água?

O ozônio é utilizado desde o século XVIII no tratamento de águas de abastecimento, sendo que desde então, seu uso vem se difundindo cada vez mais. Porém, seu uso não é amplo devido a diferentes fatores, sendo muitas vezes substituído pelo cloro. Mas seu uso não se resume somente ao tratamento de água, outras áreas também têm interesse no seu uso.

Todo o processo de tratamento de água destina-se a um único objetivo, retirar da água qualquer tipo de contaminação, evitando assim a transmissão de doenças. Para que isso ocorra, são adicionados à água que bebemos produtos capazes de diminuir esses contaminantes.

Esses produtos são utilizados em estações de tratamento, piscinas e tanques. Um desses produtos, o ozônio, é utilizado devido a sua ação oxidante no tratamento da água, pois sua ação é mais rápida.

Mas afinal, o tratamento de água com ozônio é algo novo? E como funciona o tratamento da água com esse composto? 

Quando o ozônio começou a ser utilizado?

De modo geral, o ozônio começou a ser utilizado para desinfecção de água em 1886 e em 1891, testes pilotos já eram realizados.

A primeira instalação industrial de ozônio foi em 1893, em Oudshoorm, na Holanda, para desinfecção na estação de tratamento de água de abastecimento da cidade.

Com o passar dos anos, o número de estações de tratamento de água utilizando o ozônio aumentou. Em 1914, haviam pelo menos 49 estações na Europa que utilizavam ozônio como desinfetante. Em 1936, esse número cresceu para 100 na França e 140 ao redor do mundo.

Podemos perceber que a aplicação do ozônio para o tratamento de água não é tão recente assim, ou seja, passou-se um século desde sua primeira aplicação.

Ele não é amplamente em função do seu alto custo, especialmente quando comparado ao cloro.

Porque utilizar o ozônio?

Mas, em 1975, descobriu-se que os compostos organoclorados (subprodutos das reações do cloro com matéria orgânica) são cancerígenos e consequentemente, o cloro começou a ter sua aplicação cada vez mais limitada.

Isso se deve ao fato de que os organoclorados possuem alto potencial de formação de trihalometanos (THM), produzidos geralmente na fase de pré-oxidação da água bruta com cloro, antes do processo físico-químico de tratamento de água.

Essa descoberta fez com que o ozônio ressurgisse como uma das principais alternativas na substituição do cloro, resultando na retomada do desenvolvimento das aplicações de ozônio e principalmente dos sistemas de geração de ozônio.

Equipamento utilizado para tratar a água com ozônio.

Um estudo publicado em 2001 por Velano e colaboradores mostra que a diferença do ozônio dos demais agentes desinfetantes é a maneira como ocorre a destruição dos micro-organismos. Ele é capaz de romper a parede celular de bactérias e fungos, inativando esses microrganismos e impedindo que possam causar danos à saúde. Sendo que o cloro, por exemplo, atua por difusão através da parede celular, para depois atuar no interior da célula em elementos como enzimas, proteínas, DNA e RNA.

Aplicações do Ozônio

Sua aplicabilidade ocorre em diversos segmentos do tratamento de água e em centrais de abastecimento hídrico das cidades, como:

  • Consumo de água em residência e na aquicultura (criação de peixes),
  • Processos de branqueamento;
  • Água mineral (enxague de desinfecção de reatores, tanques, garrafas);
  • Tratamento de lixívia, chorume; efluente de indústria têxtil;
  • Processos de síntese;
  • Branqueamento de matérias primas e produtos, oxidação de gases;
  • Desinfecção de água fresca água de processo e água de resfriamento;
  • Desinfecção, descoloração, desodorização e desintoxicação de efluentes e melhoria da biodegradabilidade;
  • Purificar a água usada na indústria farmacêutica;
  • Dentre outros.
Benefícios do Tratamento da Água com Ozônio.

Ele ainda vem sendo utilizado para a desinfecção de utensílios, como galões de água e na água para desinfecção por meio da oxidação de compostos orgânicos e inorgânicos.

Ele pode ser utilizado também em alimentos, como peixes e hortaliças, por causa da capacidade do ozônio em reduzir odor, cor e até sabor.

O ozônio vem sendo utilizado também para tratar águas de piscinas, no tratamento de águas residuais (substituindo assim o cloro) e águas subterrâneas, que muitas vezes possuem altos níveis de ferro e o ozônio atua na precipitação de metais e metais pesados.

Outra aplicabilidade do ozônio é para a lavagem do jeans que vem sendo utilizada pela marca Feranda do Rio de Janeiro, marca referência em jeans no país. De acordo com Alessandra Varanda, gerente da empresa:

A técnica é realizada por uma máquina de ozônio específica para a ação, que promove a lavagem do índigo à seco ou aplica o gás na água para deixar o jeans no ponto sugerido pela estilista. Ao final, não só são economizados milhares de litros de água (cerca de 85%) e produtos químicos, como o tempo de vida útil das peças é otimizado, pois, sem o atrito com a água, o desgaste do tecido é menor.

Outro estudo desenvolvido baseia-se no tratamento da água contaminada pela mineração de carvão em Criciúma e região. O projeto busca tratar a água contaminada pela mineração utilizando o ozônio por meio da injeção de ozônio na água, para oxidação química dos metais presentes.

E em tratamento convencionais realizados em Estações de Tratamento de Água (ETA), ainda não é utilizado o ozônio (porém, pesquisas apontam para a utilização do ozônio nesses tratamentos) para remover compostos que provocam disfunções endócrinas, como os pesticidas e hormônios.

O ozônio causa danos à saúde?

A pergunta que fazemos é “Como o ozônio presente na troposfera e no ar de ambientes internos causa danos à saúde, por que ele é utilizado como desinfetante na água, alimentos e objetos?”

Isso se deve ao fato de que o ozônio decompõe-se rapidamente na água, onde ao romper a parede celular de um fungo ou bactéria, ele irá originar o oxigênio e outra substância, dependendo da matéria que ele interagiu antes da reação começar.

Por isso, ele não gera nenhum produto que possa causar dano à saúde quando utilizado para esses propósitos.

Embora o ozônio seja um produto caro, vimos que sua aplicação é vasta, indo desde tratamentos de água a lavagem de jeans e que seus benefícios e vantagens são maiores que o do cloro.

No entanto, devem ser realizados mais pesquisas para comprovar suas funcionalidades, para que assim se pense em reestruturar nossas ETAs, buscando sempre eficácia e qualidade de vida à população.



Clique na figura abaixo e responda nosso questionário para receber nosso ebook "Como criar mapas de localização com ArcGIS 10.x".


Author: Émilin CS

Engenheira ambiental. Têm experiência na área de saneamento e gestão ambiental, buscando soluções usando QGIS e Bizagi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *