Tecnologias Ambientais

Essa semana estive lendo o artigo ‘’Future Internet Technologies for Environmental Applications’’, ele aborda diferentes avanços tecnológicos na área ambiental, tais como:

  • Computação em Nuvem;
  • Internet das Coisas; e
  • Big Data.

[Texto Originalmente Publicado no Linkedin Pulse]

Essas tecnologias vêm transformando gradativamente os aplicativos e softwares ambientais, a fim de facilitar a compreensão e organização de dados relacionados ao clima, relevo, temperatura, solos, vegetação, biodiversidade dentre outros.

Mas afinal como isso funciona? O conceito de computação em nuvem refere-se á utilização da memória e das capacidades de armazenamento e cálculo de computadores e servidores compartilhados e interligados por meio da Internet. O armazenamento desses dados é feito em servidores que poderão ser acessados de qualquer lugar do mundo, a qualquer hora, não havendo necessidade de instalação de programas ou de armazenamento de dados.

A internet das coisas pode ser definida como uma revolução tecnológica que representa o próximo passo da computação, tendo como objetivo estabelecer uma interação entre objetos inteligentes por meio da Internet, possibilitando a comunicação entre eles, através do envio e recebimento de dados e informações com o intuito de facilitar a vida das pessoas. Esse sistema estabelece conexões entre diversos objetos, como automóveis, eletrodomésticos, celulares e outros aparelhos móveis.

Big Data é o termo que descreve o imenso volume de dados – estruturados e não estruturados – que impactam os negócios no dia a dia. Mas o importante não é a quantidade de dados e sim o que as empresas fazem com os dados que realmente importam. Os dados podem ser analisados para a obtenção de insights que levam a melhores decisões e direções estratégicas de negócio.

Todas essas ferramentas aliadas às tecnologias ambientais podem ser utilizadas para recolher informações sobre o ambiente – acompanhamento e coleta de dados para identificar a presença de poluentes, alterações na ocupação dos solos ou para detectar os efeitos na saúde humana. O artigo cita uma série de aplicativos que agrupam esses dados, facilitando assim a vida do profissional, além de disponibiliza-los para muitas pessoas.

Essas ferramentas foram utilizadas para a criação do aplicativo ENVIROFI – BIO, um aplicativo de biodiversidade para a classificação de árvores, incluindo suas informações como tamanho, coloração das folhas, localização, dentre outros. Ele foi aplicado na cidade de Viena e, na área rural de Tuscany (ambas na Itália) e Zöbelboden, Austria. Todas essas informações são condensadas e agrupadas em uma rede de dados disponíveis na rede.

Tais tecnologias apresentam impactos positivos, reduzindo custos de desenvolvimento, integração e exploração de dados ambientais. Os aplicativos apresentados por esses autores demonstraram-se viáveis, além de poderem ser ‘copiados’ para outros ramos da área ambiental.

Embora seja viável, esse tipo de tecnologia ainda precisa ser desenvolvida, especialmente no que refere-se ao processamento de dados geoespaciais e temporais, possibilitando o desenvolvimento de sistemas e cidades inteligentes.

São poucos os profissionais da área ambiental que utilizam essas ferramentas, existindo uma lacuna entre os profissionais da computação e da área ambiental. Acredito que ambos os profissionais devem trocar informações visando desenvolver esses novos sistemas, aliando o arcabouço técnico das diversas ciências ambientais (geologia, pedologia, hidrologia, climatologia, entre outros) ao da área de computação.

Fontes Consultadas:

http://www.scielo.br/pdf/rap/v44n3/03.pdf : Tecnologias Ambientais em Busca de um Significado. Autores: Charbel José Chiappetta Jabbour.

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1364815215301298 : Future Internet Technologies for Environmental Applications. Autores: Carlos Granell, Denis Havlik et al.

https://www.youtube.com/watch?v=jlkvzcG1UMk : A Internet das Coisas

http://ftp.unipar.br/~seinpar/2013/artigos/Rogerio%20Schueroff%20Vandresen.pdf : Conceitos e Aplicações da Computação em Nuvem. Autores: Rogério Schueroff Vandresen, Willian Barbosa Magalhães.

https://www.youtube.com/watch?v=7D1CQ_LOizA: Explaining Big Data.



Clique na figura abaixo e assine nossa lista de emails para receber nosso ebook "Como criar mapas de localização com ArcGIS 10.x".


Author: Émilin CS

Engenheira ambiental. Têm experiência na área de saneamento e gestão ambiental, buscando soluções usando QGIS e Bizagi. Atua na área de modelagem matemática para rompimento de barragens com software HEC-RAS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *